quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Questões Essenciais

Em primeiro lugar deixem-me dizer que estou tristíssima porque o meu signo está em último lugar na tabela da Maya, mas enfim. A vida continua. Não vou deixar que esta questão me afecte e me faça deixar de analisar as questões essenciais.

Uma das questões é que, na Itália, o partido de extrema direita oferece 1500 euros ao casal que der o nome de Benito ao filho ou Rachel à filha, fazendo assim alusão ao ditador Mussolini e à sua mulher. O partido alega que não é uma questão de saudosismo mas sim um apelo para que estes nomes não desapareçam, por "mera coincidência" são nomes do ditador e da sua respectiva mulher. Ora, pus-me a pensar (coisa que não me acontece com muita frequência), se isto acontecesse aqui em Portugal o partido de extrema direita iria ter muito que gastar, porque há muitos "José" e muitas "Manuela" no nosso país. Imaginem a fortuna que era pagar a toda esta gente, que por "mera coincidência" puseram o nome do nosso Primeiro Ministro e da líder do PSD aos seus filhos!

Outra das coisas que li no jornal que leio habitualmente (o primeiro gratuito que agarrar) é que o sr. Filipe La Féria vai estrear mais um dos seus musicais "que sempre quis fazer". Este jornal dizia também que o encenador gastou um milhão de euros, cerca de 250 mil contos, nesta nova aposta e que, para variar, não teve apoio nenhum do estado; dizia também que para este musical, decorreram audições "abertas" a qualquer pessoa. A primeira questão que me insurge é para quê audições? Alguém que vá ver as peças do La Féria vê alguma cara nova, que não estivesse já nos seus outros 250 mil musicais que "sempre quis fazer"? Não vai haver novidades de certeza. Bom, posso estar a ser injusta, porque em "Jesus Cristo Superstar" havia de facto muitas caras desconhecidas, que se calhar, aparecem neste mesmo musical. Duvido que a Anabela, a Lúcia Moniz, o Hugo Rendas, o Carlos Quintas ou a Wanda Stuart se prestem a estas audições. Para quê gastar tanto em audições, se o elenco já está, à partida, seleccionado?
E nesta questão sim, sou totalmente insuspeita, porque se alguém amava de paixão o trabalho do sr. Filipe, era eu! Mas todo o encantamento tem o seu fim.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Donna Maria - Uma lufada de ar fresco invadiu o país!!

Há já algum tempo que ouvia a música "Quase perfeito" mas não sabia quem ouvia, quando os vi num programa, tive a sensação de conhecer o rosto da vocalista e não estava errada. Cresci a ouvi-la cantar. A garota lindíssima que dá voz ao projecto pertencia aos Onda Choc. Depois não resisti a ouvir mais músicas dos "Donna Maria" e, posso dizer (isto para não estar sempre a falar mal) que é das melhores coisas que ouvi em português em muito tempo. A voz da Marisa Pinto é absolutamente deliciosa, as letras lindíssimas, os "remakes" perfeitos. A sua apresentação em público é simplesmente "fofa". (Não me ocorre palavra melhor). Vê-la a cantar de pés descalços comove-me de uma maneira muito estranha. A sua entrega em cada interpretação é realmente comovente. E saber que ainda há jovens (com a minha idade) que se interessam pela música em português é gratificante. Confesso, eu ( e quem sou eu) sou uma "analfabeta" em termos de música pop estrangeira. Passo enormes vergonhas quando estou numa roda de amigos e começam a falar de uma música ou de um grupo estrangeiro, seja inglês, americano ou canadense. Fico sempre de parte porque sou uma perfeita leiga. Agora, não tentem debater comigo música portuguesa, leia-se também fado.

Resumindo: Marisa (com S) A sua voz e o seu álbum "Tudo é para sempre" são um presente para todos nós.

Uma lufada de ar fresco invadiu o país!!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Plágio? Quem lhe dera...

Fiquei ontem a saber que o cantor italiano Jovanotti (que eu amo de paixão) foi acusado de plágio por Alejandro Sanz, pela música "A te" ser bastante parecida com a musica "A la primera persona". Sei que isto não interessa a muita gente, principalmente porque não nos afecta minimamente, certo? Errado! A mim afecta-me e muito! Sou doida pela música "A te", do Jovanotti e parei para ouvir a música do Alejandro Sanz e, meu caro Alejandro, que sei que me estás a ler neste momento digo-te: "Quem te dera a honra de seres fonte de inspiração para o Jovanotti. Quem te dera a ti a música "A te" ser um plágio da tua reles "A la primera persona". A música do Jovanotti é muito mais melodiosa e contagiante que qualquer outra "merdice" que venhas a compor". Só tenho a dizer isto!! Sou altamente suspeita para o dizer, mas pessoas imparciais do meu país, oiçam uma e outra e digam de vossa justiça!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Nuno Lopes, um amor!

Hoje fui assistir a um "exercício a propósito da consciência do actor em cena" com encenação do Sr. João Brites. Quanto à apresentação, nada a declarar. Fantástico, como já era de prever. Mas não é sobre a apresentação que vou falar e sim de quem estava a assistir. Além de todos os alunos da Escola Superior de Teatro e Cinema e alguns alunos da Faculdade de Letras estava também uma, pelo menos, presença ilustre conhecida de todos nós.
Estava eu na última fila, deliciada com a apresentação que estava a decorrer quando oiço uma gargalhada que me é familiar. Olho para trás e estava Nuno Lopes. O grande actor dos "Contemporâneos" (senão o único). Calculo que tenha sido lá aluno e tenha ido prestigiar os colegas. Muito simpático, cumprimentou todos que o cumprimentaram sempre com um sorriso nos seus belos lábios. Passei pertinho dele, enquanto ele era "devorado" pela multidão. As suas gargalhadas fortes e graves destacavam-se no meio de todas as outras. Achei querido da parte dele ter ido lá. Já nos cruzamos outra vez, na peça do meu "amiguinho fedorento", ele ficou no camarote ao lado do meu. Estivemos muito pertinho mais uma vez!!

Numa dessas revistas, Nuno Lopes afirma "Acho que sou o único homem de 30 anos que não fuma, não se droga e não conduz". Perdi a oportunidade de lhe dizer que também "Devo ser a única mulher com 26 anos que não fuma, não bebe, não se droga e não conduz (apesar de ter carta)". Hum... tanta coisinha em comum...Quem sabe numa próxima oportunidade lhe diga. Por agora só tenho a dizer uma coisa: "Pára de me seguir, Nuno!!" ;-)

"Sou lésbica. E então?"

Fiquei a saber que actual comentadora das manhãs da sic recebeu um prémio pela "coragem" de ter afirmado que é lésbica. Coragem? É assim tão difícil a pessoa dizer que gosta de uma ou de outra "coisa"? Não é difícil dizer, difícil é ser aceite numa sociedade que teima em fingir que é puritana e que isto não acontece nas suas famílias. Acreditem!! Acontece sim!! Não me parece que seja uma pessoa que tenha necessidade de ser aceite. Acho a palavra "coragem" uma tremenda parvoíce para este contexto! É preciso coragem para assumir a culpa de algo que se tenha feito de mal, agora o que é que a rapariga fez de errado?? Vão apedrejá-la na rua agora que "saiu do armário" ou que resolveu dizer que saiu?? O que solange F. fez não foi inédito. Há uns 2 ou 3 anos a cantora brasileira "Ana Carolina" fez o mesmo, também foi capa de revista com uma declaração muito parecida. "Sou Bi. e daí?"
Não me venham com coragens e essas tretas porque de hipocrisia estamos nós muitíssimo cansados. (Eu pelo menos estou!)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Quem dá e tira...

O nosso (salvo seja) Primeiro- Ministro foi a Ponte de Lima fazer mais uma campanha de propaganda ao computador "Magalhães". Já nada há a dizer sobre o computador, o mesmo já não se pode dizer do Sr José Sócrates, que a cada dia nos deixa mais boquiabertos, a cada dia nos deixa a pensar mais e mais sobre o porquê dele estar na posição que está e, até mesmo, porque é que ainda anda por aí à solta!
Bom, o que há a assinalar em mais esta campanha do "funcionário de mês da worten" (segundo os "Gato Fedorento") é que o sr. foi a uma escola nesta localidade para aparentemente distribuir o computador pelos alunos. Passada a recepção e a euforia por parte dos alunos, tirou-se então uma foto para a posteridade. Depois da foto, o sr. Primeiro trata de... recolher todos os computadores e, com a licença da expressão, deu de frosques. Ele os seus assessores. A criançada ficou, obviamente, muito triste.
Vindo deste senhor, já nada me espanta, mas chegar a este ponto ridículo superou as minhas expectactivas mais negativas que tinha deste senhor. Os seus paizinhos não lhe ensinaram que "Quem dá e tira, ao inferno vai parar?", sr Primeiro?

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O país que temos

Mais uma vez a Drª Manuela Ferreira Leite está na berlinda. Ontem proferiu as já célebres frases "Não sei se não era bom seis meses sem democracia" e ainda "Eu não acredito em reformas quando se está em democracia". Nota-se, nas imagens que MFL se arrepende imediatamente das declarações que tinha acabado de proferir. Ora, eu com os meus imaturos 26 anos nunca vivi sem conhecer outro regime que não fosse a democracia, mas estudei na escola o que o país passou antes de Abril de 74, e acreditem, sem Magalhães!! Acredito que quem viveu com a repressão considere extremamente grave as declarações da líder do PSD. Eu como imatura e inconsciente que sou, não posso claro, deixar de ironizar, como é meu hábito!!
Tenho só a dizer que não há que ter preocupações quanto ao futuro da democracia. Não creio que, mesmo que a Drª chegue ao cargo de Primeiro Ministro venha a cumprir esta "ameaça", porque, como todos sabemos, não é costume dos políticos cuprirem as promessas que fazem. A democracia está, portanto, mais forte que nunca!!! Pelo menos e em rigor, no que diz respeito ao futuro, quanto ao presente tenho as minhas dúvidas. Diria que estamos numa "Democracia Ditatorial" ou melhor num "Circo dos horrores". Acho que assim estou a ser mais realista!! Um Primeiro Ministro, sr "Eng" José Sócrates prometeu-nos um país com mais educação menos desemprego e a restante e habitual demagogia e remeteu-nos para um país pobre, sem liberdade de expressão e onde os ricos são mais ricos e os pobres mais pobres, ora, onde é que eu já ouvi (ou melhor, estudei) isto?

A MFL "apenas" propôs um contrato a termo certo com termino dentro de 6 meses, do que já, parcialmente, mas não equiparável ao que aconteceu, existe! Porquê tanto espanto e medo? "Só" não gostaria que voltássemos à ditadura porque aí, não poderia ter o prazer de ir votar e po-los a correr a todos do poleiro pra fora!!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Sic Mulher (a dias)

No outro dia estava eu a fazer zapping, porque a programação dos canais generalistas, surpreendentemente não me estava a agradar e depois de levar com uma saraivada de anúncios, chego à Sic Mulher e detenho-me por lá breves instantes, instantes suficientes para reparar numa particularidade deveras curiosa. Todos os anúncios (sim, também anúncios) que passaram, num canal destinado ao público feminino eram de... produtos de limpeza. Achei fantástico! Num canal cujo público alvo é feminino passarem anúncios de produtos de higiene para a casa. Paremos para analisar: ora bem, no canal Panda passam anúncios de brinquedos, na SportTv passam anúncios de gilettes e na sic Mulher anúncios a produtos de limpeza. Acho, acima de tudo, muito coerente, porque os únicos produtos que as mulheres consomem no seu dia-a-dia são, de facto, de limpeza e, aliás, para que serve mais a mulher a não ser para limpar e deixar a casa com aroma a lavanda do ambipur? Essa é a questão que mais atormenta a mulher ao longo da sua vida: escolher que desinfectante deverá usar para deixar a sanita mais brilhante e que elimine 99,9% dos germes. Pois!! Produtos de limpeza!! Ora..e se fossem dar uma voltinha????

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Mais um domingo

E ontem passou-se mais um domingo. Os meus fins-de-semana são passados na expectativa que chegue o domingo à noite. Os "meus" quatro meninos são a alegria do meu fim-de-semana. Umas vezes ao vivo outras apenas pela TV, o quarteto "Gato Fedorento" é quem ainda me faz sorrir, rir e gargalhar, dependendo da inspiração dos rapazes. Ontem ri com muita vontade, especialmente no momento do "Tumba"!

Brindaram-nos com esse grande programa que foi "Na casa do Toy". Nem sei o que teria sido da minha formação se não fosse esse maravilhoso programa que tanto nos trouxe... (Agora assim de repente não me lembro de nada que o "Na casa do Toy" me tenha trazido mas hei-de lembrar-me de alguma coisa.) Ontem passei por aquilo a que chamam de "vergonha alheia". A vergonha que eu passei pelo Toy... Não há comentários possíveis para tamanho "macho latino"! E que bem que ele conduz, ouviste?? É um bocado fanfarrão, mas todas as multas que conseguiu até hoje foram "apenas" por excesso de velocidade, no fundo, tem bastantes motivos para se orgulhar!! (E ser pateticamente convencido)

E o que dizer dos sketches da ministra da educação? Muito pouca coisa a não ser "estavam brilhantes" . Quando o programa acaba fico sempre com aquela coisa na cabeça de "Como queria ter sido eu a escrever isto". Hum... Quem sabe um dia consiga!!

Hilariante foi também o sketch da burocracia nas escolas, e se houve sketches em que pensei que devia ter sido eu a escrever "aquilo" este foi um deles. Simplesmente espectacular.

Quanto à música final, quase que apostava sem medo de perder, que conseguiram que muita gente fosse à gramática da Língua Portuguesa ver o que eram advérbios de modo e por os miúdos à pesquisa já não é nada mau!! Mas, nos tempos que correm em vez de irem à gramática é bem provável que tenham ido ao Magalhães. Mas atenção! Não deixa de ser louvável!

domingo, 16 de novembro de 2008

Manuela Ferreira Leite

Na passada quarta-feira a líder da oposição, Drª Manuela Ferreira Leite disse, em Fátima, que não divulga as propostas do seu partido para que não sejam copiadas pelo PS. Eu, pessoalmente acho uma atitude muito fofa da Drª porque prova que não perdeu o seu lado juvenil, dos tempos do colégio, em que escondia as respostas para que o colega da carteira não se atrevesse a copiar. Mas há que ter a coragem de confrontar a Drª com a realidade: já não está no colégio, o país não é uma escola primária e já lá vão os tempos em que era Ministra da Educação. Agora quem é que terá coragem para a confrontar com tal realidade e provocar uma tão grande desilusão à senhora?

Nesse mesmo dia a Drª disse também que "não pode ser a comunicação social a seleccionar aquilo que transmite". Agora pergunto: já não nos bastava o senhor Sócrates a fazer o papel de "Lápis azul" na RTP? Será que a Drª teria tempo para desempenhar este papel sem que perdesse as suas aulas de mímica? Não será a televisão um veículo de comunicação indepentende?? Por favor, alguém diga à senhora que estamos no ano 2008 e que os tempos a que nos quer remeter já lá vão!

sábado, 15 de novembro de 2008

Luciana Abreu - A dúvida

Bom, no momento em que escrevo estas primeiras linhas, ainda não sei como vou terminar este post. Então, para não ser acusada de inveja, ciúmes ou sei lá mais o quê, começo por dizer que acho a Luciana Abreu uma rapariga muito bonita, aparentemente simpática e mais aparentemente ainda muito humilde. A sério!! Acho mesmo uma certa graça à moçoila. Temos até algumas coisas em comum, entre elas a cor dos olhos e o cirurgião. A ela pôs-lhe "novas e bonitas maminhas" a mim tirou as "velhas e feias maminhas", o Dr. Ângelo Rebelo, com uma pequena diferença: nela fez um belo trabalho!! (Aproveito e dou uma alfinetada!!)

Não acho muita graça ao seu trabalho como "apresentadora" nas manhãs da sic. Não creio que as suas indumentárias sejam apropriadas à geração para o qual o programa se destina, mas eu e o meu irmão também crescemos a ver a Ana Malhoa em cuecas e soutien no seu "Bueréré" e nem por isso ficamos pessoas menos sérias ou menos formadas... Bom, talvez no meu irmão tenha provocado um efeito diferente do que provocou em mim, o que é estranho porque eu via mais tempo o programa do que ele. A meio do programa ele enfiava-se sempre na casa de banho e ficava lá horas a fio. Acabava sempre por ver o programa sozinha, uma vez que depois que ele saía da casa de banho voltava para a cama e adormecia de novo. (Hunf...Homens!!)
Mas voltando à "nossa" Lucy, tenho de dizer que não teve muita sorte com o programa que lhe destinaram, os miúdos também não aparecem no ecrã com cara de quem se está a divertir especialmente e ainda teimam em por a rapariguita a cantar músicas em inglês, espanhol e sei lá mais o quê... A linguagem que ela usa também devia ter uma chamada de atenção por parte da produção. Alguém lhe devia dizer que "caraças", além de ser uma expressão que está fora de moda, não é lá muito bonita para se dizer num programa matinal que se destina às crianças.

Mas a Luciana é a Luciana. E a Luciana pode tudo!! Pena é que não tem tudo o que deseja...




O que se passa com a televisão portuguesa?

Gostava de ter uma resposta para esta e outras perguntas, como "Porque é que os homens não amadurecem nunca?" ou " Porque é que insisto em tirar um curso superior se sei que vou acabar por engrossar a fila do desemprego?", mas essas são questões para se responder a longo prazo, agora esta que intitula este "post" vem-me atormentando de há alguns meses para cá.

Ligo a televisão e vejo a Maya a ""apresentar"" um programa (essa não começou por ser Astróloga? Depois não passou a ser "comentadora"? Ah e parece-me que agora administra certas e determinadas casas nocturnas lisboetas) e a falar com a também mui importante pessoa Cinha Jardim ( O que se passa com o mundo?) e a dizer pérolas como "Pois é Cinha, se 'tivesses ao lado de mim isto não acontecia" (???) É portanto a pessoa mais credível e mais capacitada que a sic conseguiu arranjar para nos estragar as tardes. Como não suporto que pessoas supostamente profissionais e capacitadas me encham os ouvidos com erros sofríveis, ah e não sei se já deu para reparar mas não a suporto, tenho bom remédio: desligo ou mudo de canal.

De noite ligo a televisão na RTP e vejo o sr. Malato a "apresentar" um programa (bom, mas pelo menos o Sr. Carlos Malato tem algum tipo de formação nesse sentido, o que talvez torne as coisas um nadinha mais graves) e a dizer "Quando o meu amigo ver este programa na televisão, vai-se espantar". Como não gosto de ouvir a gramática portuguesa a ser assassinada diariamente (não que o meu português seja perfeito, mas pelo menos sei conjugar o verbo "Ver" na 3ª pessoa do Futuro do Conjuntivo) tenho bom remédio: desligo ou mudo de canal. Mas entre o Malato e a Maya... Viva o sr. Malato!! Considerarei este seu erro como uma "licença poética".

Ao fim da tarde, enquanto vejo os meus emails e vou apagando as inúmeras mensagens de spam que abarrotam a minha caixa, deixo a tv ligada na sic. Começa a série juvenil "Rebelde way", não olho para a tv, mas vou ouvindo alguns diálogos que, como actriz, me despertam alguma atenção. Bom, a linguagem é aquilo que, suponho, seja a habitual entre os jovens nas suas escolas, incluindo más conjugações da segunda pessoa do singular que terminam constantemente em "S" mas quanto a isso acho que cabe aos pais a tarefa de proibirem ou não os seus filhos de assistirem a tais programas. No final do programa, enquanto passa a ficha técnica, aparece uma voz-off a dizer aos adolescentes para entrarem no site da novela e deixarem alguns recados para os actores. Uma vez que já estava no computador mesmo, resolvo aceder ao site, por uma curiosidade que ainda hoje estou para descobrir de onde veio. Quando acedo ao site, por acaso um site bastante dinâmico e interactivo, vejo lá então o campo para se deixar os tais recados. Até aqui, nada de especial. O que me chamou a atenção foi um aviso que estava lá por parte do administrador do site, ou lá como se chama. Dizia algo como " Tem cuidado com o que escreves pois este site é visitado por menores. Usa uma linguagem cuidada e não sejas ofensivo". Não pude deixar de pensar que é engraçado pedirem isso aos jovens quando, só neste episódio a que assisti, ouvi coisas como "És uma verdadeira besta"; " És mesmo parva!"; "A Kika é uma elefanta", e mais parva para cá e estúpida para lá... É impressão minha ou há aqui uma certa...como dizer... incongruência?? Incompatibilidade?? Contradição???

Enfim... Devem ser coisas da minha cabeça...